kika olsen

   As sensações guiam Karina Olsen, também chamada de Kika, nas suas criações. "É como se através do desenho eu quisesse tocar alguém e pudesse tocar da maneira que eu fui tocada por aquela inspiração. E através do design repassar isso para as pessoas", diz a designer que é apaixonada por pedras e é graduada em Gemologia no Gemological Institute of America, em Nova York. Karina criou a Olsen K, seu primeiro projeto solo, com um propósito que vai além das joias com design. Durante anos, no mesmo período que se dedicou à criação de joias, trabalhou como voluntária em abrigos, mas chegou um momento em que só isso não era suficiente. Decidiu unir as suas maiores paixões: pedras, design e trabalho social. “Os anos de experiência criando peças com uma variedade de metais e pedras preciosas, somados à formação em Gemologia, me possibilitaram olhar de forma mais abrangente para o que eu estava fazendo”, diz. E, a partir desta conexão entre amores e inspirações, suas coleções trouxeram, cada vez mais, o seu universo, que parte da natureza. "A natureza é o centro de tudo que me guia. Do cinema àarquitetura, passando pela viagem, cultura, arte", conta ela, que leva para o seu desenho algo que leu, viuou sentiu.

   Em relação à relação com as pedras, Karina sentiu um incômodo com a forma como as gemas são tratada sem seu processo de feitio e consumo–descarte elevado, não valorização dos profissionais envolvidos na cadeia de produção e a supervalorização do tamanho e quantidade, e não do design, da história de cadajoia. “Essa inquietação me fez questionar como meu amor pela gemologia e pelo design poderiam servir ao planeta de forma mais justa, consciente e profunda, compartilhando, por meio da beleza e do processo de cada joia, alguns dos aprendizados e da soportunidades que tive”, diz Karina.

Foto Kika.jpg

   Ao mesmo tempo que estava realizada com a beleza e história das pedras, a vontade de contribuir e fazer mais pelo mundo motivou Karina a definir o upcycling como norte da marca. “O upcycling foi algo que me encantou. Busquei na joalheria uma forma de exercer esta filosofia e tem sido um desafio maravilhoso. Acredito muito no poder energético das matérias-primas que dão origem à joia; e conseguir fazer com que as pedras e metais possam honrar com o seu propósito que acredito ser trocar e espalhar a sua energia e sabedoria com cada um de nós e, consequentemente, com o universo só que de maneira mais respeitosa e equilibrada é algo que me motiva diariamente”, fala Kika, que, não pensa apenas no valor de cada joia, focando no preço, mas transformando cada peça em um verdadeiro amuleto. Afinal, cada pedra traz um passado precioso–e, para esta gema, Karina mostra uma forma de escrever um novo destino a seguir, seja na versão de anel, colar, brinco ou pulseira.